Segundo Dia em Istambul – Mesquitas e Bazares

O segundo dia de Istambul foi dedicado a descobrir a Igreja de Chora e a Região dos Bazares.

Nossa primeira atração do dia foi a Igreja de Chora ou Museu Kariye. A decisão de incluí-la no roteiro ocorreu depois de vermos que era uma das atrações mais recomendadas da cidade pelo Tripadvisor. Nosso guia da Lonely Planet também recomendava muito irmos. Então, vamos lá!

Essa atração fica um pouco mais afastada da região turística e não há metrô ou tram até lá. Para chegar, a maneira mais fácil seria ir de táxi. Mas nós sempre gostamos de nos aventurar um pouco pelo transporte público nas cidades que vamos pois essa é uma forma muito gostosa de conhecer um pouco do dia-a-dia dos habitantes (vemos as pessoas indo ao trabalho, mães buscando filhos no colégio, amigas conversando animadamente) e também é mais barato! Além disso, ouvimos falar de alguns casos de golpes de taxistas em turista – se já não suporto os golpes dos taxistas argentinos, imagina dos turcos! Então vamos ao be-a-bá para chegar nessa atração. Primeiro fomos de tram de Sultanahmet até Eminonu (para saber os detalhes sobre transporte em Istambul, veja aqui). A partir dali, fomos de ônibus. Em Eminonu há um terminal de ônibus e você precisa pegar algum que vá até Edirnekapi (pode ser 31E, 37E, 38E ou 36KE). Demoramos algum tempo para descobrir como pagar a passagem de ônibus! Tentamos comprar dentro do ônibus e o motorista, sem falar nadica de inglês, só disse que não e pronto. Aí começamos a perguntar a alguns turcos mais novos e ninguém indicava o lugar certo. Depois de uns 20 minutos, um senhor apontou para um quiosque branco, que fica na rua e que tinha uma certa fila (é fácil reconhecer) e pronto. Compramos um cartão que você escolhia quantas viagens queria. Garantimos logo a volta e pronto! Subimos no ônibus e 10 minutos depois chegamos (passa numa telinha o nome de cada parada, super fácil saber quando chegou).

A Igreja de Chora, também chamada de Igreja Fora das Muralhas, quando construída,  em 527 d.C. por Constantino, ficava fora das muralhas da antiga cidade (sim, Istambul era cercada!). Esta igreja também foi transformada em mesquita e, atualmente, é um museu. O que faz dela encantadora são os mosaicos dourados e afrescos do seu interior, todos relacionados a temas bíblicos. Nós passamos um bom tempo com os olhinhos voltados ao alto admirando cada uma das imagens.

IMG_1407 IMG_1366 IMG_1368
IMG_1395

IMG_1396

Agora, olha que fofo o gatinho na lojinha de souvenir. Um fato muito curioso é que Istambul é cheio de gatos pelas ruas e pelas lojas. Eles andam sem problema algum por todos os lugares. Nosso amigo turco disse que na Turquia ninguém cuida de gatos em casa, como ocorre aqui no Brasil, então eles acabam pelas ruas. Não víamos cachorro algum, mas gato eram vários.

IMG_1418

Saímos do museu e fomos andando, observando o cotidiano dos turcos. Essa região é mais subúrbio, no sentido de que ali de fato é onde as pessoas vivem. Passamos por um colégio e observamos as mães, de burca, lenço ou jeans levando e buscando seus filhos. Paramos para comprar uma água e batatinha e conversamos com o vendedor turco sem ele falar uma palavra de inglês… mas nos entendemos durante uns 10 minutos! E chegamos no local onde havíamos saltado do ônibus.

Atravessamos a rua e, antes de ir embora, fomos conhecer a Mesquita Mihrimah Sultan. Esta mesquita foi criada em 1560 pela filha de Suleyman, o Magnífico. Não entramos pois estava na hora da oração e achei que devíamos respeitar esse momento tão importante para eles. Logo ao lado, há resquícios das muralhas antigas da cidade.

IMG_1360

IMG_1359

Voltamos de ônibus, fazendo o caminho exatamente contrário. Saltamos em Eminonu e fomos conhecer a região. Começamos pela Mesquita Nova, que fica super perto do ponto do tram. Esta mesquita é chamada de nova porque sua construção terminou em 1665, sendo então uma construção bem novinha na cidade. Ela demorou 66 anos para ficar pronta, muito mais que as outras mesquitas. Isto porque quando ela foi construída a água estava a apenas 3 metros de distância e diversas vezes invadiu a obra, retardando sua finalização.

Chegamos exatamente na hora da oração. No islamismo, os fiéis rezam cinco vezes ao dia. Se eles estiverem perto das mesquitas, vão até o local para rezar. Os homens limpam (nas pias de ablução) os pés, as orelhas, o rosto e mais o que quiserem. Entram sem sapatos nas mesquitas, assim como as mulheres. Dentro da mesquita os homens ficam na frente e as mulheres atrás. O chamado para oração, cinco vezes ao dia, ecoa de forma a ser ouvido em todos os lugares. A primeira chamada começa as 5 e pouca da manhã (os horários variam diariamente) e era quase um despertador para nós. No final, já estava até acostumada.

IMG_1424IMG_1430

Logo ao lado está o Bazar das Especiarias. Este mercado também é chamado de Bazar Egípcio pois fazia parte da rota das caravanas que vinham da Índia e da Ásia com especiarias rumo ao Egito. Este bazar é o melhor para comprar temperos, chás e os doces típicos. Em cada barraca há cheiros e temperos para o amor, para relaxar e até “viagra” masculino. Foi neste Bazar que compramos uma caixinha de Turkish Delish e Baklavas, doces típicos da Turquia. Adorei a experiência de andar entre as barracas, sentindo os cheiros e admirando as cores das mercadorias.

Vale lembrar que em todos os bazares e comércios da Turquia não há um preço certo pela mercadoria. E toda vez que você perguntar o preço, saiba que você pagará muito menos. A negociação faz parte da cultura do povo e eles realmente gostam. Se você também curte, aproveite e negocie o menor preço que puder! Eu e João somos péssimos para pedir descontos. Quando fomos comprar o doce para levar, perguntamos o preço e antes mesmo de dizer nada, o vendedor já deu um desconto de 30%! Achamos muita graça nisso pois conseguimos desconto sem simplesmente pedir nada. Outro ponto é que os vendedores turcos são poliglotas pois basta perceberem que somos brasileiros e começam o “bom dia”, “Brasil, futebol”. Eles fazem de tudo para te atrair à loja dele. E antes de começar uma negociação, te oferecem um çay (um chá que o João achou gostosinho – eu odeio chás, então não adianta muito dar minha opinião).

modif IMG_1432 IMG_1435

Depois deste bazar, subimos até o Grand Bazaar. Este é o bazar mais famoso da Turquia, é enorme, dividido por ruas e setores e existe desde 1461. Ali há de tudo: lenços, jóias, tapetes, louças, narguilês, souvenirs diversas e tudo que você possa imaginar. Há muitas mercadorias de qualidade e outras nem tanto. Para conhecer tudo, você precisaria de mais de um dia inteiro. Nós resolvemos apenas andar perdidos observando tudo. Compramos apenas alguns souvenirs com os olhos turcos. Nossa mala para prosseguir viagem só permitia 15 quilos e resolvemos deixar para comprar mais a frente da viagem.

IMG_1437

IMG_1449 IMG_1452 IMG_1458 IMG_1465 IMG_1466

IMG_1468

Alguém ficou cansadinho no final…

Após nos recuperarmos um pouco prosseguimos caminhando até a Universidade de Istambul e a Mesquita Süleymaniye que fica ao lado. A universidade é linda: tanto sua construção como o campus em si. A Mesquita foi encomendada por Sulleyman, o Magnífico – o mais rico e poderoso sultão de sua época – no século XVI. Aos fundos da mesquita há um cemitério, onde está enterrado o sultão Sulleyman e sua esposa preferida, Roxelana – uma ex-escrava russa que se tornou concubina do sultão e o conquistou de tal forma que este se casou com ela, fato inédito até então.

IMG_1493

IMG_1498 IMG_1504

IMG_1509 IMG_1510

Estávamos bastantes cansados e para finalizar fomos andando até o Çemberlitas ou Coluna de Constantino. Foi construída em 330 por Constantino para comemorar o fato de Constantinopla se tornar a capital do Império Romano do Oriente. Possuía um busto do imperador no alto, mas este foi roubado. Esta coluna fica onde era o antigo fórum de Constantino.

IMG_1487

Depois de tanta caminhada e banho de cultura, voltamos ao hotel. Nessa noite resolvemos sair para jantar na rua do nosso próprio hotel em um restaurante muito gostoso (vou detalhar melhor sobre onde comi em outro post).

Nesse dia, íamos ao banho turco. Este banho consiste em várias etapas, incluindo saunas, esfoliação, banho de espuma e piscina. Eu estava animadíssima para conhecer. Tínhamos escolhido o Suleymaniye Hamami pois era o único que aceitava homem e mulher juntos. Porém, acabamos perdendo a hora e não conseguimos fazê-lo em nenhum outro dia. Mas eu acho que vale muito a pena conhecer. Se puder ir, vá e me conte depois!

Informações:

1- Igreja de Chora:

Horário: 09:00 – 17:00

Dias: fechado quarta

Preço: 15 TL

2- Bazar das Especiarias:

Horário: 08:30 – 18:30

3- Grand Bazaar:

Horário: 09:00 – 19:00

Dias: fechado domingo

4- Mesquita Süleymaniye:

Horário: 09:30 – 17:30

Um comentário sobre “Segundo Dia em Istambul – Mesquitas e Bazares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s