Patagônia: os primeiros passos (e um noivado inesquecível)

Realizei um sonho! Conhecer a Patagônia deve ser obrigatório para todos viajantes do mundo. Que lugar único, paisagens totalmente diferentes, uma verdadeira obra-prima da natureza.

patagonia 1

Laguna Nimez em El Calafate

IMG_6684

Glaciar Huemul em El Chaltén

Além de toda a beleza do lugar, posso dizer que essa viagem foi mais que especial! O lugar onde fiquei noiva… um verdadeiro sonho! 🙂

noivado

A Patagônia é uma região de quase 800 mil km2 no sul do continente americano composta por uma massa de gelo gigantesca, só menor que a Antártida e a Groelândia. As temperaturas sempre baixas, mesmo no verão, favoreceram esse grande manto de gelo que abrange o território do Chile e da Argentina (a maior parte fica para os chilenos). E essa grande massa de gelo possui ramificações que formam geleiras as quais os turistas ficam embasbacados. O degelo das geleiras durante o verão alimenta lagos de cor azul intensa.

Os Andes, que atravessam o continente, formam uma barreira natural que ajuda a manter as características da região. Essa área úmida forma nuvens constantes que batem no Andes e precipitam. Assim, a região ali é chuvosa quase o ano toda e as geleiras e a neve se mantém. Mas como as nuvens precipitam ali, logo depois dos Andes se forma uma região desértica. E isso é incrível! Um “deserto” logo ao lado das geleiras. Ali a vegetação é dominada por estepes.

São essas características que tornam a região tão especial. Paisagens tão lindas e inacreditáveis, e tão aqui perto de nós. Sério, eu fiquei encantada com a Nova Zelândia mas a Patagônia não deixa a desejar em termos de beleza natural.

IMG_6407

Em algum lugar sobre o Glaciar Perito Moreno

Agora vamos a viagem e a parte prática em si. Para visitar essa região, pode-se escolher conhecer a região do Chile ou da Argentina, ou as duas, claro!

Na Argentina temos três áreas principais da Patagônia: ao norte ao redor do Lago San Martin (Bariloche e a Região dos Lagos), mais ao centro ao redor do Lago Viedma (El Chaltén é a principal cidade) e mais ao sul do Lago Argentino para baixo (aqui temos El Calafate).

IMG_6238

Roteiro

Para uma viagem bem redonda, que precisa de, pelo menos, uns 10 dias, o roteiro ideal para quem vai pela primeira vez seria:

– Voar até El Calafate e ficar 2-3 dias aqui. Seguir para El Chaltén de ônibus ou carro e ficar 1-2 dias. Depois hora de se embrenhar no Chile e conhecer Torres del Paine, indo de ônibus ou carro desde El Calafate. Para lá o ideal é ficar no mínimo 3 dias. Depois, retornar a El Calafate e voar para Ushuaia, ficando mais uns 3-4 dias.

IMG_6599

Caminho entre El Calafate e El Chaltén

Nós, infelizmente, não tínhamos todo esse tempo. Era apenas o feriado de Carnaval, sem emendar a semana. Foram 6 dias contando o de ida e o de volta e resolvemos ficar em apenas uma cidade. Escolhemos El Calafate onde está uma das principais paisagens da Patagônia e fizemos um bate e volta a El Chálten

IMG_6340

Perito Moreno, a grande atração de El Calafate e da Patagônia

Como chegar

A única companhia aérea que chega a todos os lugares da Patagónia argentina é a Aerolíneas Argentina, sempre parando em Buenos Aires. Compramos passagem RJ – Buenos Aires – El Calafate e a volta da mesma forma.

Compramos bem antes, como sempre. E sofremos com as alterações que o vôo teve. Sério, acho que o horário mudou umas 7 vezes até a viagem. E o grande problema foi que na alteração final, nosso vôo de volta envolveu uma troca de aeroportos. Chegamos de El Calafate no Aeroparque e fomos para o Rio desde Ezeiza. A empresa oferece um voucher para um transfer entre os aeroportos. Mas, simplesmente, nossas malas levaram quase 1 hora para sair no primeiro aeroporto! E o atendente da Aerolíneas disse que não conseguiríamos chegar em Ezeiza com o transfer que saia a cada meia hora e levava quase 2 horas no trajeto! Solução? Que nós fossemos de taxi e pagássemos com nosso dindin. Na hora, sem alternativa, fizemos isso né. Uma facada de 70 dólares e com direito ao golpe clássico dos taxistas argentinos que trocou minha nota de $100  por $1 e quis dizer que eu tinha dado errado. Ameaçamos chamar a polícia e ele acabou dando o troco e seguindo.

Resumindo a história, vale uma dica: passe um dia em Buenos Aires na volta e garanta sua volta tranquilamente e ainda passeie um pouco pela capital.

Quando ir?

Estamos falando de uma das regiões mais ao sul do continente e, claro, isso significa temperaturas baixas. A alta temporada é no verão. No inverno, inclusive, muitos restaurantes fecham e alguns passeios não ocorrem.

Fomos para lá em fevereiro. Pegamos três dias de temperatura muito amena. Inclusive pude ficar de blusa de manga durante algumas caminhadas. Mas no quarto dia, a temperatura mudou bruscamente e sentimos muito frio!

O que levar de roupas e outros apetrechos?

Para se vestir adequadamente a Patagônia, a regra é simples: vista-se em camadas. Nos passeios andamos bastante e, em alguns momentos, dava vontade de tirar todos os casacos.

Eu usava legging ou jeans sem problemas durante o dia, com uma calça térmica por baixo. Mesmo na caminhada em cima do gelo usei legging. Por cima, usava primeiro uma blusa de manga curta. Por cima usava meu casaco maravilhoso que comprei na Decatlhon na Europa. É um casaco três em um. Por baixo vem um casaco em fibra polar para proteger do frio. Por cima um casaco corta-ventos e impermeável. Além disso, o material permite eliminar o suor. Não ganhei absolutamente nada da empresa e comprei totalmente com meu dinheiro, mas achei que valeu muito a pena e estou indicando. Foi esse modelo aqui, mas na versão feminina. João também tem o mesmo modelo. Além disso, nas nossas mochilas levávamos a roupa térmica de cima (só usei no passeio de barco), luvas e gorro. Ah! E sempre óculos escuros.

IMG_6454

Andando sobre o Perito Moreno

A maioria dos passeios de dia inteiro  não inclui almoço. Então é bom levar lanches. No nosso hotel vendia um pacote, mas nós compramos no mercado e levamos nossos sanduíches e biscoitos. Vale levar protetor solar também e protetor labial para hidratar.

Como circular?

Como ficamos apenas em El Calafate não houve necessidade alguma de alugar carro. Todos os passeios são longe e possuem transfer. Se for circular entre as cidades El Calafate – El Chaltén – Torres del Paine pode ser uma ideia alugar carro, mas também é muito fácil ir de ônibus.

Nos próximos posts falarei mais de El Calafate e de nossos passeios por lá!

IMG_6277

Por El Calafate

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s