Roteiro de 4 dias nas Serras Catarinenses

Não me canso de dizer que país com belezas como o Brasil não há! E o mais incrível é a diversidade dessas paisagens. E um sonho de viagem que eu já vinha matutando há um tempo era o de conhecer as lindas serras catarinenses.

thumb_IMG_0147_1024-min

Os cânions do sul

Santa Catarina é um estado abençoado. São praias maravilhosas, cidades em estilo europeu super fofas e as tais serras. Apesar de não ser tão famosa como a vizinha serra gaúcha (terra de Gramado), as paisagens e os prazeres gastronômicos e etílicos são tão agradáveis quanto (e um tantinho mais barato!).

Continuar lendo

Bento Gonçalves: Caminho das Pedras e Piquenique

Essa viagem aconteceu há um ano, no Reveillón de 2015 para 2016. Contei neste post sobre Gramado, onde ficamos hospedados.

Um dos dias em que estivemos por lá, dedicamos a conhecer Bento Gonçalves. O caminho é um pouco longo e o ideal seria se hospedar na cidade. Mas um dia de bate e volta foi muito bem aproveitado.

thumb_img_9057_1024

Vínicola Larentis e nosso piquenique

Bento Gonçalves é uma cidade colonizada pelos italianos que migraram para o Brasil por volta de 1870. Foram eles que começaram a plantar os vinhos que tão bem se adaptaram a nossa terra e tornaram Bento Gonçalves, a terra do vinho.

Continuar lendo

4 dias no Maranhão: São Luis, Alcântara e Lençóis Maranhenses

Do fundo do baú descobri algumas fotos da primeira viagem de avião que eu e João fizemos juntos, em abril de 2011. Uma amiga tinha me dito que sonhava em conhecer os Lençóis Maranhenses. Naquela época não tinha blog e o vício de viagem ainda não tinha me picado. E eu, hoje uma quase geógrafa de cidades que sonho em conhecer, naquela época não sabia o que eram esses tais Lençóis Maranhenses!

thumb_48_1024

Nossa viagem foi em um feriado de Tiradentes que caiu numa quinta-feira. Logo, tivemos quatro dias completo. O vôo de ida foi na véspera pela noite, parando em Brasília e a volta na madrugada do domingo para segunda (direto para o trabalho).

Continuar lendo

Gramado, durante o Natal Luz e o Reveillon

No final de 2015, resolvemos viajar para uma das cidades mais turísticas do Brasil: Gramado. Eu havia visitado a mesma quando tinha meus 12 anos e ela tinha ficado marcada na minha memória.

thumb_img_8915_1024

Foram quatro dias. Chegamos na véspera pela noite e dormimos em Porto Alegre. Já alugamos o carro desde o aeroporto, o que  considero bem importante para visitar Gramado e as outras cidades da região.

Na quinta-feira cedo fomos visitar alguns parentes que vivem em Porto Alegre e seguimos em direção a Gramado por volta de meio dia. A estrada é ótima e, em uma hora e meia, lá estávamos. Continuar lendo

Chapada Diamantina: nosso roteiro de 3 dias

A Chapada mais bela do Brasil não é tão fácil de ser acessada de forma barata e tem atrações para uns 40 dias (sem repetir nada!). Mas eu morava em Salvador na época e tinha um feriado de apenas 4 dias. Queria conhecer a chapada de qualquer forma e assim fomos nós!

dsc00451

Para explorar a Chapada, a melhor cidade, ainda mais se os dias são limitados, é Lençóis. Para chegar até ela existem duas formas básicas: ônibus ou avião. Este último é operado pela Azul, entre Salvador e Lençóis. Mas é caro, bem caro! Ainda mais no feriado. Por isso, recorremos ao ônibus. Saindo de Salvador, o ônibus leva 6 horas de viagem. Saímos às 23:30 de uma quarta-feira e chegamos às 05:30 da manhã do dia seguinte em Lençóis. A volta foi pela tarde de domingo.

Continuar lendo

Mangue Seco, a última praia da Bahia

Olhando algumas fotos antigas, do tempo em que morei em Salvador, relembrei um paraíso que conhecemos neste estado. Mangue Seco é a última praia da Bahia, na divisa com Sergipe.

dsc00661

Para chegar no paraíso o ideal é partir de Aracaju, bem mais perto. Nós, porém, estávamos em Salvador e fechamos um passeio com a agência Balangandan Turismo de bate e volta. Puxado? Até pode ser, mas conseguimos aproveitar bastante!

Mangue Seco fica no final da linha verde (a mesma onde fica a Praia do Forte), que começa em Salvador e sobe em direção ao Sergipe. São 240 km desde Salvador. Por isso, saímos as 6:30 da manhã e levamos 3 horas para chegar. Ficamos até as 16 horas por lá.

Continuar lendo

Pomerode: a cidade mais alemã do Brasil

No feriado que fomos conhecer Blumenau e a famosa Oktoberfest, aproveitamos um dia para conhecer uma bela cidade do Vale Europeu de Santa Catarina: Pomerode.

thumb_IMG_8808_1024

O nome homenageia os imigrantes da Pomerânia (região da Alemanha que faz fronteira com a Polônia) que vieram para esta região do país no século XIX. Trazendo o estilo da construção enxaimel para o Brasil, criaram várias casas neste estilo, tornando Pomerode a cidade com mais construções enxaimel fora da Alemanha. Hoje o slogan pelo qual a cidade é conhecida é “Cidade mais Alemã do Brasil”.

Continuar lendo

Feriado em Blumenau com Oktoberfest

Em outubro de 2015, o feriado do dia 12 de outubro caiu justamente numa segunda-feira e na época em que está ocorrendo, em Blumenau, a Oktoberfest. A festa inspirada na que ocorre em Munique, é a segunda maior do mundo do tipo.

thumb_IMG_3320_1024

Nosso vôo foi para Navegantes chegando no sábado bem cedo. Alugamos um carro pela Localiza e saímos já em direção a Blumenau. A estrada estava bem esburacada no início, mas não levamos muito tempo para chegar na cidade.

Nosso hotel era o Plaza Blumenau Hotel. Os quartos eram ótimos e o café da manhã com uma variedade enorme. Único ruim foi o elevador que demorava muito.

Continuar lendo

As comidas do Pará e os restaurantes de Belém

Nunca imaginei que existiam tantas comidas diferentes que nunca tinha provado no Brasil. O Pará é um reduto de sabores e cheiros deliciosos. Fiquei realmente encantada com tudo que comi nos cinco dias que passamos no estado.

Vou relatar os restaurantes que fomos e as comidas que provamos em Belém e na Ilha de Marajó.

Tacacá da Maria

Nossa primeira refeição em Belém foi em uma barraquinha super movimentada que ficava pertinho do nosso hotel. Tacacá é um prato típico da região amazônica e todo paraense come o seu por volta das cinco da tarde. Feito de um caldo que leva tucupi (extraído da chamada mandioca brava), goma de tapioca, camarão seco e jambu. Este último causa uma espécie de dormência na língua, algo bem inusitado. A barraca da Maria é a mais famosa e estava bem cheia. Nosso tacacá custou R$ 10,00.

thumb_IMG_7235_1024

Continuar lendo

Fazenda São Jerônimo – um resumo da Ilha de Marajó

Um passeio clássico e que precisa ser feito por qualquer um que vá a Ilha de Marajó é a visita a Fazenda São Jerônimo. Ali temos um pouquinho de cada ambiente que representa a natureza da ilha.

thumb_IMG_0411_1024

Único ponto negativo é que esta fazenda ficou bem famosa depois que um episódio de No Limite foi ali gravado e por ter servido de locação para uma novela global. Com isso, um passeio que custava em torno de R$ 30 agora custa R$ 100 por pessoa.

Continuar lendo