Pipa conquistou meu coração!

Depois de 4 dias hospedados em Natal, fomos passar os últimos três da viagem em Pipa. Estava animada para conhecer esse pedaço tão famoso do Brasil, mas um pouco receosa de encontrar uma cidade lotada, inflacionada e já turística demais.

Qual não foi minha sorte, ao chegar na cidade logo no dia seguinte do feriadão da semana santa e Tiradentes (o feriado do dia 23 de abril é só no Rio) e ver uma galera indo embora. A cidade estava vazia, nos esperando para descansar e curtir uma cidade relax, com crianças correndo na rua e portas abertas sem tranca. Depois do assalto em Natal, era exatamente disso que precisávamos.

O hotel que ficamos era muito bom, com ótimo atendimento e instalações, como contei aqui. Fizemos o caminho de Natal a Pipa de carro e este ficou devidamente esquecido dentro da garagem do hotel nos dias que passamos na cidade.

Pipa fica a 85 km ao sul de Natal e é formada por um conjunto de praias lindíssimas, de águas calmas e quentes. Uma curiosidade que aprendemos foi sobre o porquê do nome. Quando os portugueses avistaram de longe a cidade, acharam o formato parecido com o de um barril que eles usavam para armazenar bebidas nos navios e que se chamavam de pipa.

No nosso primeiro dia por lá, fomos andando até a Praia do Amor que tem esse nome porque do alto enxergamos a praia em formato de coração. Se chega pelo alto e é preciso descer uma escada para alcançar a areia. No canto esquerdo da praia estão as falésias que formam o famoso Chapadão de Pipa.

20140421_144954 20140421_150613

Como a maré estava baixa, conseguimos ir andando para direita e chegamos na Praia Central onde sentamos em um barzinho para ver o pôr do sol Continuar lendo

Litoral Sul de Natal e o Maior Cajueiro do Mundo

Nosso terceiro dia de viagem foi dedicado a explorar, por conta própria, o litoral sul de Natal.

Captura de Tela 2014-09-18 às 20.21.12

Primeiro fomos descendo e passamos pela Barreira do Inferno, onde fica o centro de lançamento de foguetes. Pode-se fazer visitas, mas acabamos passando direto.

Fomos margeando a praia, passamos pela praia de Cotovelo e chegamos a Pirangi do Norte. Dessa praia saem barcos que fazem passeios até as piscinas naturais de Pirangi. Essas são menores e menos famosas que as piscinas de Maracajaú. Não fomos, então não posso dar opinião alguma.

O mais legal de Pirangi não fica na praia e sim ao seu lado: o maior cajueiro do mundo! Garantido pelo Guinness, ele tem uma copa de 8,4 mil m². A entrada é ao lado de uma feirinha. Primeiro andamos por baixo da copa, vendo as raízes da árvore e dando uma volta grande pelo cajueiro. Depois subimos em um mirante de onde é possível avistar a copa e ter uma ideia do tamanho desse cajueiro. Por ano são produzidos de 70 a 80 mil cajus! E nada melhor que tomar uma amostra gelada do suco de caju no final, antes de sair.

20140420_121317

Pequena copa do cajueiro

Continuar lendo

O famoso passeio de buggy de Natal

No nosso primeiro dia de fato na viagem, reservamos com uma agência indicada pelo nosso hotel para fazer o passeio de buggy mais clássico do Brasil. O preço é tabelado e não há muita diferença entre as empresas, assim como no itinerário. Nós fizemos pela Mar Azul, com um bom motorista/guia e um adorável casal de pernambucanos. Pagamos R$ 110,00 por pessoa e as 9 hrs o buggy nos buscou na pousada.

Saindo de Natal passamos pelo Parque das Dunas, pela ponte e pelo Mercado das Redinhas, lugar bom para se comer uma tapioca recheada com ginga (um peixe frito). Nós não paramos ali, então não foi dessa vez que provamos… Ainda passamos pelo aquário, mas como nenhum de nós quatro quis parar ali, seguimos adiante.

20140419_091027

Parque das Dunas

20140419_091152

Em frente, chegamos a famosa Genipapu, com suas famosas dunas e seus dromedários. E a emoção das dunas já começava! Não fomos nos dromedários. Para quem quiser, o preço estava em R$ 50,00 por pessoa por um passeio de 25 minutos.

Continuar lendo

Seis dias pelo Rio Grande do Norte – Natal, arredores e Pipa

O Nordeste brasileiro é fantástico e eu tenho verdadeiro fascínio por aquelas águas quentes e calmas das praias nordestinas, tão diferentes das geladíssimas águas do Rio. Natal era uma daquelas cidades que me deixava louquinha quando via fotos e na minha wish list de lugares do Brasil, essa era uma das top 3.

O grande problema de visitar o Rio Grande do Norte é o preço das passagens. Sério, eu acompanhava há muito tempo passagens Rio – Natal e os preços chegavam a bater mais de R$ 1.000,00 em alguns feriados. E passar um final de semana por lá era muito pouco tempo. E eis que uma luz brilha no fim do mundo: um feriado de 6 dias no Rio e uma passagem de R$ 550,00 ida e volta! Claro, lá vamos nós!

20140418_105251

Antes de começar o relato em si da viagem, preciso fazer um alerta e desabafo. Tivemos uma experiência péssima logo no nosso primeiro dia de viagem em Natal. Ficamos hospedados em um hotel perto do Morro do Careca, na rua paralela a Praia de Ponta Negra. Era meio dia e saímos do hotel para dar uma volta na praia. Era preciso descer uma rua e, em menos de 2 minutos se chegava a praia. E em plena luz do dia, nessa pequena descida, surgem dois garotos (um, inclusive aparentando ser menor de idade) e anunciam um assalto. Eles tinham uma faca e, claro, não reagimos e demos o que tínhamos conosco. Por sorte, a própria dona do hotel tinha alertado não levar bolsa pois havia muitos batedores de bolsa ali pela praia. Então eu estava apenas com a bolsa da minha câmera e o João com sua carteira e celular. Perdemos isso. Foi muito triste para mim ver essa realidade brasileira assim de tão perto. Nunca fui assaltada no Rio e nunca tinha passado por essa situação. Fiquei muito assustada e quis mudar de hotel. Porém não havia vaga em nenhum outro. Minha impressão de Natal não foi nem de perto a melhor de todas e preferi passar todos os dias pelos seus arredores. Ah, e só para completar, as delegacias da cidade não abrem em feriados e finais de semana (mesmo a dos turistas) e, por sorte, estávamos de carro e fomos a única delegacia aberta na cidade fazer nosso BO.

Fechando esse desabafo e alerta, conseguimos superar esse momento ruim e curtir o lado bom da viagem e do Nordeste. Ah, as fotos foram todas a base do celular e da Go Pro, já que minha câmera amada foi roubada!

Então vamos a ao relato das partes delícias dessa viagem! Continuar lendo